sexta-feira, 8 de junho de 2012

Estudando materiais e técnicas

Recebi uma folha de papel manteiga encerada, 100 x 100 cm. Brincando com formatos maiores resolvi ver o que rolava. Escolhi, sem pensar, meus nanquins coloridos... pincéis e muita água. A rejeição do material foi tão intensa que múltiplas bolhas coloridas foram se aglutinando sem a menor cerimônia. Claro que não iria obter resultado com aquele papel impregnado e impenetrável. Lembrei da resina acrílica no armário. Com a espátula de nylon trabalhei com movimentos rápidos misturando as cores do nanquim que logo penetraram em parte a resina. Ficou um fundo escuro e pastoso... ataquei com pinceladas e respingos com mais cores, aos poucos os traços foram aparecendo... No dia seguinte vi o resultado do conjunto seco. Gostei das possibilidades, das manchas, transparência e brilho do trabalho...